Mustard

A Mustard mede de 30 a 60 cm de altura, cresce nos campos e nas bermas dos caminhos e floresce de Maio a Junho. Cientificamente conhece-se como brassica nigra. Esta flor pertence ao grupo da INDIFERENÇA PERANTE O PRESENTE e está relacionada com as qualidades anímicas da serenidade e da claridade. O Dr. Bach encontrou nela o remédio «para aqueles que estão expostos a ter períodos de tristeza e desespero. Como uma nuvem fria e obscura envolvendo e obstruindo o caminho da luz ocultando o gozo de viver. Pode ser que seja impossível encontrar uma razão justificada ou uma explicação válida para tais episódios. Debaixo desta condição é-lhes quase impossível aparecer alegres e joviais»

Períodos de profunda melancolia sem causa aparente

O estado negativo de Mustard caracteriza-se porque um profundo sentimento de tristeza aparece sem que aparentemente exista uma causa que o justifique. A melancolia e o abatimento caiem sobre o individuo e agarram-se como se fosse uma nuvem pesada da qual não podem escapar, ficando isolado do exterior enquanto se encontra nesse estado. Só poderá libertar-se quando “a tormenta passar”: então poderá respirar tranquilo até que se apresente uma nova situação.

Estes ataques de pessimismo, que irritam pela sua aparente falta de lógica, costumam desaparecer tão rapidamente como aparecem é, igual ao caso do Agrimony, são muito difíceis de dissimular. Quando se pergunta ao paciente se sabe porque está assim, não sabe dar razões e não se encontra uma conexão coerente entre o estado do paciente e o resto da vida da pessoa.

Como reage o corpo perante a depressão de Mustard

Neste estado, podem aparecer sintomas físicos tais como cefaleia, insónias, inapetência, falta de interesse sexual, sensação de vazio interior ou inclusivamente – e não pouco frequente – autocensura. Na época da menopausa também pode aparecer este tipo de depressão. Assim como também em determinadas épocas do ano, como o Outono, Primavera ou por ciclos de meses.

Os benefícios da Mustard

Ao tomar a essência, o indivíduo sentirá como se fosse despertando pouco a pouco de um pesado e obscuro sonho, voltando a tomar as rédeas da sua vida e das suas emoções.

© Carmen Morales

Deja un comentario